FUNAI and the Museu do Indio ~ space LANAGRO

 

 

Rio Distopico
Em audiência com indígenas e apoiadores, justiça federal e ministério público decidem fazer as 14h de hoje, uma visita para averiguar as condições deles voltarem à Aldeia Maracana – Após avaliada a ‘inabiltabilidade’ do espaço do LANAGRO, que é o prédio que fica ao lado do antigo Museu do Indio, espaço que já havia sido colocado como pauta da resistência para garantir a permanênci…a dos indígenas, que fornecia água, energia elétrica e internet na rotina de resistência na Aldeia, e esta dentro dos 14.300 m² do terreno de usufruto indígena…a discussão é sobre como garantir o alojamento dos indígenas, crianças inclusive, que não tem para onde ir. Se congita, frente a isso, a volta da ocupação do Museu do Indio em Botafogo. A participação do ouvidor da FUNAI, que é da etnia Pankararu na audiência, foi uma vergonha. Visivelmente despreparado para a contundencia das acusações contra FUNAI, ele se reservou a falar pouco e transferir a responsabilidade para o governo do estado, que não mandou representante para a audiência. Claramente compremetido em não ajudar, não mover nada e não cumprir o papel deste orgão, que é defender incondicionalmente a causa indígena, o que se viu poderia ser facilmente traduzido como: ‘lavo minhas mãos’.
Mas na verdade, a incapacidade de ocupação do prédio do LANAGRO, não se dá por motivos de estrutura ou condições do imóvel e terreno, senão porque a Odebrechet ‘ocupou’ ela mesma, com a autorização do Cabral, aquele prédio para administrar o consórcio da obra do Maracanã. Seriia cômico, se não fosse completamente trágico, porque era lá que se inspecionavam alimentos impróprios para alimentação, e com o abandono daquele prédio e dispensa dos técnicos que ai trabalhavam, e pra piorar o abandono de equipamentos laboratoriais caríssimos, o Estado mata dois coelhos com uma CABRALHADA só: Que é inviabilizar o uso do prédio para as revindicações indígenas e seguir seu projeto de precarização da saúde pública no Rio de Janeiro.
Sem técnicos para inspeção de alimentos que servem à mesa de todos e sem garantir os direitos dos povos indígenas, dentre outras cabralhadas, o Rio de Janeiro dá sinais de que realizará a PIOR copa e olimpiadas da história dessas competições..
~~
Distopico River
In audience with natives and supporters, federal court and prosecutors decide to do the 2:0 pm today, a visit to investigate the conditions of them returning to the village Maracana-After the ‘ inabiltabilidade ‘ LANAGRO space, which is the building that is adjacent to the former Museum of Indio, who had already been placed as agenda of resistance to ensure the permanence of the indigenous, that provided water, electricity and internet in resistance in the village, and this within the 14,300 m 2 of land of indigenous use … the discussion is on how to ensure the accommodation of indigenous peoples, including children, who have no where to go. If congita, the front, the back of the occupation of the Museu do Indio in Botafogo. The participation of the Ombudsman of FUNAI, which is ethnic Pankararu at the hearing, was a shame. Visibly unprepared for the importance of the accusations against FUNAI, he was allowed to talk little and transferring responsibility to the State Government, which sent no representative to the hearing. Clearly compremetido in doesn’t help, do not move anything and do not fulfill the role of this organ, which is to defend unconditionally the indigenous cause, what we saw could easily be translated as: ‘ wash my hands ‘.
But in fact, the failure of the occupation of the building of LANAGRO, not for the sake of structure or policies of property and land, but because the Odebrecht ‘ occupied ‘ herself, with the permission of Cabral, that building to administer the consortium of the work of the Maracanã. Seriia comical, if not quite tragic, because it was there that if inspected food unfit for food, and with the abandonment of that building and dispensing technicians that ai worked, and to make matters worse the abandonment of expensive laboratory equipment, the State kills two birds with one CABRALHADA only: That is to derail the use of the building for the indigenous claims and follow your project of precariousness of public health in Rio de Janeiro.
Without food inspection technicians who serve at the table of all and without ensuring the rights of indigenous peoples, among other cabralhadas, Rio de Janeiro gives signs that will carry out the worst World Cup and Olympics in the history of these competitions.
~

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: