URGENT MANIFESTO of SOCIAL MOVEMENTS of MATO GROSSO DO SUL and Brazil to NATIONAL and international PUBLIC OPINION

SOLIDARITY with the TERENA PEOPLE FIGHTING for THEIR RIGHTS and CONSTITUTIONAL ANCESTORS
URGENT MANIFESTO of SOCIAL MOVEMENTS of MATO GROSSO DO SUL and Brazil to NATIONAL and international PUBLIC OPINION
To the legitimate action of indigenous Terena in Sidrolândia/MS who initiated the resumption of Buriti Farm, known and named by them as INDIGENOUS LAND BURITI, located 25 miles from Sidrolândia 85 km and from Campo GrandeHuman Rights organizations, social movements, entities and popular organizations who sign under the express as follows: 1. Our unrestricted and unconditional solidarity with the Terena People that after several days of deliberations at the third General Assembly of the Terena People and the first general meeting of indigenous peoples of Mato Grosso do Sul, held in the same area of resumption of the 08 May 11, 2013before the inaction and retreat of the State and the Brazilian Government of their obligation to enforce the Federal Constitution with regard to the demarcation of indigenous territories in the State, decided to make a legitimate act of Defense of their customary rights and constitutional, retaking the area belongs to them historically. 2. we follow and we will go together with the development of the repressive action of the State of Mato Grosso do Sul, declared enemy of farmers and indigenous claims of their political, economic, and paramilitary organizations, and repressive forces of the State, who are about to take by force and violence to indigenous people who have made a peaceful resumption of their traditional lands. 3. Any outcome of the situation that the beast even more human rights of the population Terena; children, the elderly, youth, men and women participating in the action, shall be the sole responsibility of the national and State authorities that have the Federal Constitution the amparo and the Empire the only force capable of bringing peace and solution to the indigenous peoples of Mato Grosso do Sul. And the only solution and the only peace that want the indigenous peoples are those who will come from the fulfillment of the Constitution that requires the recognition and demarcation of indigenous territories. 4. our solidarity with the journalist of Cimi, Ruy Sposati that had their equipment confiscated arbitrarily by Federal Police delegate Alcídio de Souza Araújo in May 18, 2013 in Buriti indigenous area. The fact happened when a group of entities, movements and human rights organizations, the Commission integrated the Earth Pastoral (CPT), Indigenous Affairs Standing Committee of the Bar Association of Brazil (OAB-MS/COPAI), the Human Rights Defence Centre – Marçal de Souza Tupã ‘ i (CDDH), the NGO blue, the Conference of religious of Brazil (CRB-MS), the National Committee for the defence of indigenous peoples of Mato Grosso do Sul (CONDEPI) and the collective Red Earth and the people’s Court of Earth/MS accompanied the repossession order of Buriti farm-part of 17 thousand hectares declared in 2010 by the Ministry of Justice as the territory traditionally occupied by the Indigenous Terena people Buriti. 5. Follow the public note of CIMI denouncing that at the time the journalist had its equipment confiscated arbitrarily, since there was no justification to identify some legality in apprehension. In addition to the absence of a court order for search and seizure, the attitude of the delegate is blatant illegality in accordance with law No. 4,898 whose article 3, item J, prays that constitutes abuse of authority “any attack on the legal rights and guarantees provided to professional practice”. This can be seen clearly in the video: http://blogdosakamoto.blogosfera.uol.com.br/2013/05/19/pf-apreende-equipamentos-de-reporter-no-mato-grosso-do-sul/finally we call to all social and political popular militants, popular organizations, students, unions, and human rights defenders, to stay alert and United in the face of the facts that attempts of repossession will bring to the scenario of the worthy struggle for life and territories that lock indigenous peoples in Mato Grosso do Sul. Sign: > > Pastoral Land Commission-CPT/MS > > indigenous missionary Council > > Blue > > Ngo Conference of religious of Brazil (CRB-MS) > > Permanent Commission of Indigenous Affairs of the Bar Association of Brazil (OAB-MS/COPAI) Earth’s people’s Court > >/MS > > human rights Defense Center – Marçal de Souza Tupã ‘ i (CDDH) > > Red Earth Collective > > National Defense Committee of the indigenous peoples of Mato Grosso do Sul (CONDEPI) > > OCCA/FORUM CORLAD > > Citizen education network-RECID ** sent by friend @ [100003265440162: 2048: Candido Dionedison].
SOLIDARITY WITH THE TERENA PEOPLE FIGHTING FOR THEIR RIGHTS AND CONSTITUTIONAL ANCESTORS
URGENT MANIFESTO OF SOCIAL MOVEMENTS OF MATO GROSSO DO SUL AND BRAZIL TO NATIONAL AND INTERNATIONAL PUBLIC OPINION
Before the legitimate action of indigenous Terena in Sidrolândia/MS who initiated the resumption of Buriti Farm, known and named by them as INDIGENOUS LAND BURITI, located 25 miles from Sidrolândia 85 km and Campo Grande, human rights organizations, social movements, entities and popular organizations who sign under the manifest as follows:
1. Our unrestricted and unconditional solidarity with the Terena People that after several days of deliberations at the third General Assembly of the Terena People and the first general meeting of indigenous peoples of Mato Grosso do Sul, held in the same area of resumption of the 08 May 11, 2013, given the inaction and retreat of the State and the Brazilian Government of their obligation to enforce the Federal Constitution with regard to the demarcation of indigenous territories in the State, decided to make a legitimate act of Defense of their customary rights and constitutional, retaking the area belongs to them historically.
2. we follow and we will go together with the development of the repressive action of the State of Mato Grosso do Sul, declared enemy of farmers and indigenous claims of their political, economic, and paramilitary organizations, and repressive forces of the State, who are about to take by force and violence to indigenous people who have made a peaceful resumption of their traditional lands.
3. Any outcome of the situation that the beast even more human rights of the population Terena; children, the elderly, youth, men and women participating in the action, shall be the sole responsibility of the national and State authorities that have the Federal Constitution the amparo and the Empire the only force capable of bringing peace and solution to the indigenous peoples of Mato Grosso do Sul. And the only solution and the only peace that want the indigenous peoples are those who will come from the fulfillment of the Constitution that requires the recognition and demarcation of indigenous territories.
4. our solidarity with the journalist of Cimi, Ruy Sposati that had their equipment confiscated arbitrarily by Federal Police delegate Alcídio de Souza Araújo in May 18, 2013 in Buriti indigenous area. The fact happened when a group of entities, movements and human rights organizations, the Commission integrated the Earth Pastoral (CPT), Indigenous Affairs Standing Committee of the Bar Association of Brazil (OAB-MS/COPAI), the Human Rights Defence Centre – Marçal de Souza Tupã ‘ i (CDDH), the NGO blue, the Conference of religious of Brazil (CRB-MS), the National Committee for the defence of indigenous peoples of Mato Grosso do Sul (CONDEPI) and the collective Red Earth and the people’s Court of Earth/MS accompanied the repossession order of Buriti farm-part of 17 thousand hectares declared in 2010 by the Ministry of Justice as the territory traditionally occupied by the Indigenous Terena people Buriti.
5. Follow the public note of CIMI denouncing that at the time the journalist had its equipment confiscated arbitrarily, since there was no justification to identify some legality in apprehension. In addition to the absence of a court order for search and seizure, the attitude of the delegate is blatant illegality in accordance with law No. 4,898 whose article 3, item J, prays that constitutes abuse of authority “any attack on the legal rights and guarantees provided to professional practice”. This can be seen clearly in the video: http://blogdosakamoto.blogosfera.uol.com.br/2013/05/19/pf-apreende-equipamentos-de-reporter-no-mato-grosso-do-sul/
Finally we call to all social and political popular militants, popular organizations, students, unions, and human rights defenders, to stay alert and United in the face of the facts that attempts of repossession will bring to the scenario of the worthy struggle for life and territories that lock indigenous peoples in Mato Grosso do Sul.
Sign:
Pastoral Land Commission > >-CPT/MS
> > Indigenous Missionary Council
> > Ngo Blue
> > Conference of religious of Brazil (CRB-MS)
> > Permanent Commission of Indigenous Affairs of the Bar Association of Brazil (OAB-MS/COPAI)
> > Earth people’s Court/MS
> > Human Rights Defense Center – Marçal de Souza Tupã ‘ i (CDDH)
> > Red Earth Collective
> > National Defense Committee of the indigenous peoples of Mato Grosso do Sul (CONDEPI)
> > OCCA/CORLAD FORUM
> > Citizen education network-RECID
** Submitted by Candido Dionedison

SOLIDARIEDADE COM O POVO TERENA EM LUTA PELOS SEUS DIREITOS ANCESTRAIS E CONSTITUCIONAIS MANIFESTO URGENTE DOS MOVIMENTOS SOCIAIS DE MATO GROSSO DO SUL E DO BRASIL À OPINIÃO PUBLICA NACIONAL E INTERNACIONAL Perante a legítima ação dos indígenas Terena do município de Sidrolândia/MS que iniciaram a retomada da Fazenda Buriti, conhecida e denominada por eles como TERRA INDIGENA BURITI, situada a 25 km de Sidrolândia e 85 km de Campo Grande, as organizações de Direitos Humanos, movimentos sociais, entidades e organizações populares que assinam embaixo bem a manifestar quanto segue: 1. Nossa irrestrita e incondicional solidariedade com o Povo Terena que depois de vários dias de deliberações na Terceira Assembleia Geral do Povo Terena e Primeira Assembleia Geral dos Povos Indígenas de Mato Grosso do Sul, realizada na mesma área de retomada de 08 a 11 de maio de 2013, perante a inação e recuo do Estado e Governo Brasileiro de sua obrigação em fazer cumprir a Constituição Federal no que respeita à demarcação dos territórios indígenas no Estado, decidiram fazer um legítimo ato de defesa de seus direitos consuetudinários e constitucionais, retomando a área que lhes pertence historicamente. 2. Acompanhamos e vamos seguir acompanhando o desenvolvimento da ação repressiva do Estado de Mato Grosso do Sul, inimigo declarado das reivindicações indígenas, dos fazendeiros e de suas organizações políticas, econômicas e paramilitares, e das forças repressivas do Estado Brasileiro, que estão prestes a enfrentar pela força e violência aos indígenas que fizeram uma retomada pacífica de suas terras tradicionais. 3. Qualquer desenlace da situação que fera ainda mais os direitos humanos da população Terena; das crianças, dos idosos, da juventude, dos homens e das mulheres que participam da ação, será de exclusiva responsabilidade das autoridades nacionais e estaduais que têm na Constituição Federal o amparo e o império da única força capaz de trazer solução e paz para os povos indígenas de Mato Grosso do Sul. E a única solução e a única paz que querem os povos indígenas são aquelas que hão de vir do cumprimento da própria Constituição que exige o reconhecimento e a demarcação dos territórios indígenas. 4. Nossa solidariedade com o jornalista do Cimi, Ruy Sposati que teve seus equipamentos arbitrariamente confiscados pelo delegado da Polícia Federal, Alcídio de Souza Araújo em 18 de maio de 2013 na Terra Indígena Buriti. O fato aconteceu quando uma comitiva de entidades, movimentos e organizações de direitos humanos, integrados pela Comissão Pastoral da Terra (CPT), Comissão Permanente de Assuntos Indígenas da Ordem dos Advogados do Brasil (COPAI/OAB-MS), o Centro de Defesa de Direitos Humanos – Marçal de Souza Tupã’i (CDDH), a ONG Azul, a Conferência dos Religiosos do Brasil (CRB-MS), o Comitê Nacional de Defesa dos Povos Indígenas de Mato Grosso do Sul (CONDEPI) e o Coletivo Terra Vermelha e o Tribunal Popular da Terra/MS acompanhavam a ordem de reintegração de posse da fazenda Buriti - parte dos 17 mil hectares declarados em 2010 pelo Ministério da Justiça como território tradicionalmente ocupado pelo povo Terena da Terra Indígena Buriti. 5. Acompanhamos a nota pública do CIMI denunciando que na ocasião o jornalista teve seus equipamentos arbitrariamente confiscados, pois, não houve qualquer justificativa que identificasse alguma legalidade na apreensão. Além da ausência de ordem judicial de busca e apreensão, a atitude do delegado constitui flagrante ilegalidade de acordo com a Lei Nº 4.898 cujo artigo 3º, item J, reza que constitui abuso de autoridade “qualquer atentado aos direitos e garantias legais assegurados ao exercício profissional”. Isso pode ser conferido claramente no vídeo: http://blogdosakamoto.blogosfera.uol.com.br/2013/05/19/pf-apreende-equipamentos-de-reporter-no-mato-grosso-do-sul/ Por ultimo chamamos a todos os militantes sociais e políticos populares, às organizações populares, estudantes, sindicatos, e defensores de direitos humanos, a ficarem alerta e unidos perante os fatos que as tentativas de reintegração de posse vão trazer ao cenário da digna luta pela vida e território que travam os povos indígenas no Mato Grosso do Sul. Assinam: >>Comissão Pastoral da Terra-CPT/MS >>Conselho Indigenista Missionário >>Ong Azul >>Conferência dos Religiosos do Brasil (CRB-MS) >>Comissão Permanente de Assuntos Indígenas da Ordem dos Advogados do Brasil (COPAI/OAB-MS) >>Tribunal Popular da Terra/MS >>Centro de Defesa de Direitos Humanos – Marçal de Souza Tupã’i (CDDH) >>Coletivo Terra Vermelha >>Comitê Nacional de Defesa dos Povos Indígenas de Mato Grosso do Sul (CONDEPI) >>OCCA/FÓRUM CORLAD >>Rede de Educação Cidadã - RECID **Enviado pelo amigo @[100003265440162:2048:Dionedison Candido]

SOLIDARIEDADE COM O POVO TERENA EM LUTA PELOS SEUS DIREITOS ANCESTRAIS E CONSTITUCIONAIS
MANIFESTO URGENTE DOS MOVIMENTOS SOCIAIS DE MATO GROSSO DO SUL E DO BR…ASIL À OPINIÃO PUBLICA NACIONAL E INTERNACIONAL
Perante a legítima ação dos indígenas Terena do município de Sidrolândia/MS que iniciaram a retomada da Fazenda Buriti, conhecida e denominada por eles como TERRA INDIGENA BURITI, situada a 25 km de Sidrolândia e 85 km de Campo Grande, as organizações de Direitos Humanos, movimentos sociais, entidades e organizações populares que assinam embaixo bem a manifestar quanto segue:
1. Nossa irrestrita e incondicional solidariedade com o Povo Terena que depois de vários dias de deliberações na Terceira Assembleia Geral do Povo Terena e Primeira Assembleia Geral dos Povos Indígenas de Mato Grosso do Sul, realizada na mesma área de retomada de 08 a 11 de maio de 2013, perante a inação e recuo do Estado e Governo Brasileiro de sua obrigação em fazer cumprir a Constituição Federal no que respeita à demarcação dos territórios indígenas no Estado, decidiram fazer um legítimo ato de defesa de seus direitos consuetudinários e constitucionais, retomando a área que lhes pertence historicamente.
2. Acompanhamos e vamos seguir acompanhando o desenvolvimento da ação repressiva do Estado de Mato Grosso do Sul, inimigo declarado das reivindicações indígenas, dos fazendeiros e de suas organizações políticas, econômicas e paramilitares, e das forças repressivas do Estado Brasileiro, que estão prestes a enfrentar pela força e violência aos indígenas que fizeram uma retomada pacífica de suas terras tradicionais.
3. Qualquer desenlace da situação que fera ainda mais os direitos humanos da população Terena; das crianças, dos idosos, da juventude, dos homens e das mulheres que participam da ação, será de exclusiva responsabilidade das autoridades nacionais e estaduais que têm na Constituição Federal o amparo e o império da única força capaz de trazer solução e paz para os povos indígenas de Mato Grosso do Sul. E a única solução e a única paz que querem os povos indígenas são aquelas que hão de vir do cumprimento da própria Constituição que exige o reconhecimento e a demarcação dos territórios indígenas.
4. Nossa solidariedade com o jornalista do Cimi, Ruy Sposati que teve seus equipamentos arbitrariamente confiscados pelo delegado da Polícia Federal, Alcídio de Souza Araújo em 18 de maio de 2013 na Terra Indígena Buriti. O fato aconteceu quando uma comitiva de entidades, movimentos e organizações de direitos humanos, integrados pela Comissão Pastoral da Terra (CPT), Comissão Permanente de Assuntos Indígenas da Ordem dos Advogados do Brasil (COPAI/OAB-MS), o Centro de Defesa de Direitos Humanos – Marçal de Souza Tupã’i (CDDH), a ONG Azul, a Conferência dos Religiosos do Brasil (CRB-MS), o Comitê Nacional de Defesa dos Povos Indígenas de Mato Grosso do Sul (CONDEPI) e o Coletivo Terra Vermelha e o Tribunal Popular da Terra/MS acompanhavam a ordem de reintegração de posse da fazenda Buriti – parte dos 17 mil hectares declarados em 2010 pelo Ministério da Justiça como território tradicionalmente ocupado pelo povo Terena da Terra Indígena Buriti.
5. Acompanhamos a nota pública do CIMI denunciando que na ocasião o jornalista teve seus equipamentos arbitrariamente confiscados, pois, não houve qualquer justificativa que identificasse alguma legalidade na apreensão. Além da ausência de ordem judicial de busca e apreensão, a atitude do delegado constitui flagrante ilegalidade de acordo com a Lei Nº 4.898 cujo artigo 3º, item J, reza que constitui abuso de autoridade “qualquer atentado aos direitos e garantias legais assegurados ao exercício profissional”. Isso pode ser conferido claramente no vídeo: http://blogdosakamoto.blogosfera.uol.com.br/2013/05/19/pf-apreende-equipamentos-de-reporter-no-mato-grosso-do-sul/
Por ultimo chamamos a todos os militantes sociais e políticos populares, às organizações populares, estudantes, sindicatos, e defensores de direitos humanos, a ficarem alerta e unidos perante os fatos que as tentativas de reintegração de posse vão trazer ao cenário da digna luta pela vida e território que travam os povos indígenas no Mato Grosso do Sul.
Assinam: >>Comissão Pastoral da Terra-CPT/MS >>Conselho Indigenista Missionário >>Ong Azul >>Conferência dos Religiosos do Brasil (CRB-MS) >>Comissão Permanente de Assuntos Indígenas da Ordem dos Advogados do Brasil (COPAI/OAB-MS) >>Tribunal Popular da Terra/MS >>Centro de Defesa de Direitos Humanos – Marçal de Souza Tupã’i (CDDH) >>Coletivo Terra Vermelha >>Comitê Nacional de Defesa dos Povos Indígenas de Mato Grosso do Sul (CONDEPI) >>OCCA/FÓRUM CORLAD >>Rede de Educação Cidadã – RECID **Enviado pelo amigo Dionedison Candido

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: